MAIO DE 1998   

 

MATÉRIAS DO MÊS:

*EDITORIAL - CBIP: 100 alunos já receberam o certificado!
* NOTAS SINTÉTICAS
* Sensacional os plásticos! Micro injeção na K'98
* ROMI estará presente na LATINOPLAST
* O mercado está voltado para a LATINOPLAST '98
* PLASMAR e OPP promoveram seminário
* BATTENFELD/PUGLIESE presente nas feiras LATINOPLAST e FISPAL
* PVC consolida nichos no mercado de embalagens
* PVC faz gol na Copa da França
* CARNEVALLI estará presente à 3ª edição da LATINOPLAST
* MIOTTO na LATINOPLAST '98
    * Os plásticos em plena expansão
* PRIMOTÉCNICA pioneira na recuperação
* Material antichama
* GARBONI apresenta sistema duplo de moldagem
* FORTILIT lança caixa d'água inédita no mercado brasileiro
* GE PLASTICS SOUTH AMERICA é a primeira fábrica de plásticos 
na América do Sul a receber a certificação "QS 9000"
* LUIGI MIOTTO na LATINOPLAST
* WUTZL revela ao JP sua atuação no mercado
* Os ingressos da K'98 já estão disponíveis no Brasil
 
 

  
 

EDITORIAL

CBIP: 100 ALUNOS JÁ RECEBERAM O CERTIFICADO!

ESTÁVAMOS  DIANTE DO computador para redigir este editorial, quando a Diretora do JP e responsável pelo CBIP - Curso Básico Intensivo de Plásticos, Marta Maria S. Chagas, interrompeu-nos para nos transmitir a auspiciosa notícia: “acabamos hoje (20/05) de romper a a barreira dos 100 alunos que completaram o CBIP !”.

IMEDIATAMENTE, A REDAÇÃO DO JORNAL DE PLÁSTICOS foi transformada num ambiente de confraternização geral, pois esse número, sem dúvida, representa um marco e uma vitória desta iniciativa empreendida há dois anos passados.

PARA SERMOS MAIS PRECISOS, nesse dia, exatamente 105 alunos já estavam de posse do certificado de conclusão do Curso, em vários estados brasileiros: ES -1; MA - 1; MG - 7; PB - 2; PI - 2; PR - 7; RJ - 18; RS - 13; SC - 7 e SP - 47.

ATUALMENTE CURSAM O CBIP aproximadamente 800 alunos provenientes da totalidade dos estados brasileiros (salvo os ex-territórios) e já recebemos, em nossa redação, em dois anos, mais de 2050 pedidos de informação sobre o Curso através do preenchimento da ficha publicada mensalmente no JP - número esse que comprova, de maneira inequívoca, a circulação e penetração do JP e que corresponde a uma média de 3 informações/dia (considerando-se dias úteis + sábados, domingos, feriados, etc..!).

GOSTARÍAMOS, NESSE MOMENTO DE REGOZIJO, de tornar público nosso agradecimento a entidades de nosso setor que acreditando em nosso trabalho sério, reconhecem a qualidade do Curso e emprestam suas legendas como apoiadoras culturais: SIRESP, ABIPLAST, INP e ABPOL.

POR ÚLTIMO, NOSSO AGRADECIMENTO, todo especial, à POLITENO, na pessoa de seu Diretor Comercial, José Ricardo Roriz Coelho que, desde dezembro/97, vem co-patrocinando o Curso. Isto possibilitou uma substancial redução em mais de 30% no valor a ser pago pelos alunos e, conseqüentemente, um incremento significativo do número de interessados em cursar o CBIP.

 

 

NOTAS SINTÉTICAS

* É SEMPRE BOM SABER O QUE VAI PELO MUNDO, por exemplo, que o México vai erguer a primeira fábrica de fibra curta de poliester, por iniciativa da DuPont, considerada a maior empresa química dos E.U.A, e a Alpeck S.A., do grupo mexicano Alfa.

* OS PLÁSTICOS CADA VEZ MAIS ALAVANCAM A ECONOMIA INDUSTRIAL, como acaba de acontecer no mercado, sabendo-se que a Brasholanda, um dos principais fabricantes de embalagens plásticas rígidas, está sendo adquirida por um grupo paranaense - Umuarama e Busato - e, também, pelo Bradesco, segundo se informa via ABS Participações e Empreendimentos. Ainda dizem que a situação anda desfavorável: quanto foi investido, ninguém soube informar...

* ESTAMOS INGRESSANDO NA ERA DA RECICLAGEM, haja vista que no dia 7 do corrente mês, foi realizado, no Rio de Janeiro, o II Encontro Internacional Citec - Lixo Urbano, Coletas Seletiva e Automatizada no Brasil: Presente e Futuro. A maioria das autoridades interessadas no assunto, inclusive vindas do exterior, participou do encontro. O evento transcorreu no Hotel Intercontinental. Isto nos lembra o relato de uma Polonesa, nos anos 60, na cidade de São Paulo, quanto à inexistência de lixo em sua terra. Segundo a estudiosa, na Polônia do pós-guerra, tudo era reaproveitado e a economia pautava-se em evitar o desperdício. Quem sabe, um dia, essa maravilhosa e inesquecível história não servirá de exemplo aos novos especialistas?

* É COM MUITO ORGULHO QUE VEMOS CONFIRMADO O “BOOM” DOS PLÁSTICOS NO BRASIL, já por nós antevisto, há 42 anos, quando iniciava sua ininterrupta caminhada, o JORNAL DE PLÁSTICOS. De fato, tudo se faz ou será feito de plástico. Com o cartão plastificado ( que o vulgo chama de dinheiro de plástico), estamos dispensando até os bancos, uma vez que já possibilita todo o tipo de operação nos CAIXAS ELETRÔNICOS. Agora, com o advento do “cartão inteligente”, graças a um “ship” nele inserido, será possível utilizá-lo diretamente como dinheiro em compras efetuadas no comércio. O notável assunto vem ganhando espaço na imprensa que, a cada dia, mais se dá conta do poder e da força do plástico no mundo de hoje.

* O SETOR QUÍMICO DO PAÍS CONTINUA EM ASCENSÃO: uma simples nota a respeito informa que a Lonza, pertencente ao grupo suíço Alussuisse-Lonza, instala-se no Brasil. Voltada para os setores da química, proporciona a evolução, entre outros segmentos, dos aditivos termoplásticos.

* QUANTO ÀS EMBALAGENS, noticia-se que a magnifíca Rhodia-Ster, no primeiro trimestre, reduziu seu endividamento. A dívida foi resultante de um investimento de US$ 370 milhões, para obtenção da ampliação da capacidade produtiva de resina de polietileno de tereftalato (PET), fibra de poliester e ácido tereftalato purificado (PTA).

* MEU AMIGO FRANCISCO SEMERARO, SUA OBRA EVOLUI: por certo, muito se deve a você, criador da mula manca, precursora de tudo que aí está em injeção. Semeraro tornou-se legenda internacional e, agora, a Sandreto, produtora de injetoras na Itália, maior fabricante européia, está se ligando a seus filhos, através de uma associação de capital.

 


Atenção Profissionais Ligados ao 
Setor de Plásticos e Polímeros

O JORNAL DE PLÁSTICOS pretende divulgar em seu site na internet, trabalhos técnicos relacionados a plásticos e polímeros. 
Se você é autor de alguma tese, monografia, artigo, etc.,
contate-nos pelo fone/fax: (021) 717-0375 ou pelo e-mail: jorplast@openlink.com.br 

 

SENSACIONAL OS PLÁSTICOS! MICRO INJEÇÃO NA K’98

Já pensaram? Peças injetadas com apenas 0,002 gramas?

 Nada menos que o componente de um sensor a ser introduzido no ouvido médio para correção de defeitos de audição.

 Essa façanha será mostrada na K’ 98 pelo consórcio formado pela Battenfeld Austríaca envolvendo: Viena Newstadt Technical College (testes e garantia de qualidade), Zumtobel (molde ), Arge Hma ( manuseio), HB-Plastik (moldagem), IFWT-Institute for Precision Mechanics (pesquisa).

 A micro injetora, resultado do projeto MMM (Micro Molding and Machinery) tem apenas 14 mm de diâmetro de rosca e promete ser uma das atrações da feira.

 

 

ROMI ESTARÁ PRESENTE NA LATINOPLAST

Em contato  com a redação do JP, o dinâmico Antônio de Pádua Dottori do Setor de Engenharia de Marketing de Injetoras Para Plásticos de Indústrias Romi, prestou-nos as seguintes informações sobre a participação desse importante grupo industrial na Latinoplast:

 “Romi, maior fabricante de máquinas injetoras horizontais para termoplásticos do Brasil estará presente na Latinoplast/98 com estande próprio onde apresentará novidade a nível de injetora: Primax 300 r, máquina de última geração, hidráulica revolucionária com cinco válvulas proporcionais, bomba de vazão variável (economia de energia de até 40 %!!!), nova eletrônica Siemens (painel controlmaster 7), projeto por elementos finitos, nove opções de rosca por modelo de fechamento.

 Também no estande do SENAI estará com máquina Primax 150 r, painel controlmaster 8, última geração.

 Além das novidades presentes na Latinoplast, a Romi esta lançando também sua linha de injetoras para ciclos ultra-rápidos, Primax série Velox, injetoras de última geração para ciclos ultra rápidos em polietileno e poliestireno, peças para embalagens em geral. Esta série de máquinas são providas de muitas novidades e tecnologia de última geração para acompanhar a velocidade de sua empresa.

 Tecnicamente estas máquinas têm acumulador de nitrogênio para injeção, parafuso plastificador especial com l/d de até 25:1, bomba suplementar para plastificação, apoio de partes móveis (unidade injetora por exemplo) sobre guias lineares, mecânica diferenciada para altas velocidades, sistema hidráulico regenerativo no fechamento entre outros.

 Somente o maior fabricante nacional poderia prover o cliente de soluções específicas para cada ramo de atividade.”

 
 

O MERCADO ESTÁ VOLTADO PARA A LATINOPLAST ’98

A Latinoplast’98, que realizar-se-á em Bento Gonçalves, de 02 a 06 de junho de 1998, tem mais um importante atrativo para quem dela participar. A EFEP, empresa promotora do evento, celebrou protocolo com a Secretaria da Fazenda, obtendo, para as empresas expositoras da Feira, dilatação do prazo para o recolhimento do ICMS, relativo ao período de 1º a 15 de junho de 1998.

 Assim, o recolhimento do ICMS relativo aos negócios realizados nesse período somente será devido no dia 21 de agosto.

 Este é mais um motivo para se participar, como expositor, mostrando os  produtos e revelando aos visitantes a força da nossa indústria.

 A Feira terá visitantes do Brasil e de outros países como: Alemanha, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Dinamarca, El Salvador, Equador, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, Grécia, Honduras, Itália, México, Nepal, Paraguai, Peru, Portugal, Reino Unido, Uruguai e Venezuela.

 A Latinoplast’98 já tem assegurada a participação da Ipiranga Petroquímica, Ipiranga Química, Petroquímica Triunfo, Coplasul, Polimarketing, no segmento de resinas, além de Romi, Battenfeld Pugliese, Himaco, UT 2, Rulli Standard, Carnevalli, Cemfer, Pavan Zanetti, Seibt, Primotécnica, Brevet, Hece, Sulmecânica, Miotto, Mecanofar, entre outras, no segmento de máquinas.

 
 

PLASMAR E OPP PROMOVERAM SEMINÁRIO

Nós, do JORNAL DE PLÁSTICOS, sentimo-nos orgulhosos ao assistir o progresso de empresas, como é o caso da Plasmar, de nossos amigos Ney, Wilson e Cícero que, de revendedores de matérias-primas, transformaram-se em distribuidores, no Rio de Janeiro, da OPP Petroquímica, tendo recebido, inclusive, o Certificado ISO 9002 - padrão internacional de qualidade.

 Numa demonstração inequívoca desse desenvolvimento, a Plasmar, em parceria com a OPP, promoveu dia 08/05, no IMA, Instituto de Macromolécular da UFRJ, na Ilha do Fundão no Rio de Janeiro, um Seminário, intitulado: “Inovações do Polipropileno”.

 Contando com a participação de quase uma centena de transformadores plásticos, o ponto alto do evento foi a palestra do Engº Gilmar Martins da OPP, que abordou diversos aspectos do PP, tanto a nível mercadológico como técnico.

 

 

BATTENFELD/PUGLIESE PRESENTE NAS 
FEIRAS LATINOPLAST E FISPAL

A BPE estará participando das próximas LATINOPLAST, com Stand na Rua E, nº 105/106, e FISPAL, stande Rua O, nº 39/41, onde estarão expondo  equipamentos de Sopro da nova linha BPS. O modelo a ser apresentado, na Latinoplast, será a BPS-2, máquina de última geração, com uma estação de moldagem, trabalhando com PE

 Na Fispal será apresentado o modelo BPS-2D, também máquina de última geração, com duas estações de moldagem, trabalhando com PVC..

 Poderá ser visto, nas duas Feiras, as inovações do comando Gefran, incorporado a máquina, com programador integrado de 100 pontos de regulagem. Também será apresentado a nova geração de entre centros para cabeçotes, que permite obter maior produtividade com o equipamento.

 Na linha de injeção estarão expondo uma injetora da linha T, de 50 toneladas última geração em máquina compacta desenvolvida pela Battenfeld, com grandes dimensões de placas, novo sistema de bombeamento que além de proporcionar excelente velocidade é extremamente econômica, silenciosa e robusta, com comando eletrônico de fácil manuseio o que torna o custo benefício extremamente atrativo.

 
 

 PVC CONSOLIDA NICHOS NO MERCADO DE EMBALAGENS

O uso de embalagens plásticas para óleos comestíveis aumentou de 8% para 15,2% de 1996 ao início de 1998 - mais do que o crescimento total de 6%, registrado nos seis anos anteriores. Com base nesses dados e a boa receptividade das consumidoras, conforme pesquisas de sondagem, a Cargill Agrícola decidiu lançar no início deste ano o óleo Liza em embalagem de PVC biorientado. A nova apresentação em PVC, uma opção a mais ao lado da tradicional lata, se refletiu nas vendas do óleo, líder da região Sul e Sudeste: já apartir de maio, a Cargill vai ampliar em 20% a capacidade de sua unidade interna de produção de embalagens. Outra empresa, a Niasi, também está comemorando os bons resultados de uma embalagem. Lançado para substituir um antigo xampu que registrava vendas em queda livre, o Milky chegou às prateleiras embalado em uma garrafinha em PVC branco, no formato das antigas garrafas de leite. Vendeu três vezes mais que o esperado e deu visibilidade à empresa em um dos mais disputados segmentos da indústria de cosméticos. Sozinhos, os xampus respondem por 10% dos R$ 4,8 bilhões do faturamento anual do setor, e a marca, líder entre as cerca de 600 produzidas no mercado nacional, tem estimados 8% das preferências.

 Os cases foram apresentados por executivos das duas empresas durante o seminário “A Embalagem de PVC como Sucesso de Vendas”, promovido pelo Instituto do PVC, em 16 de abril, em São Paulo. Os cerca de 70 participantes assistiram à apresentação de estudos comparativos e informações técnicas sobre a fabricação da resina e dos compostos de PVC, reciclagem, incineração, meio ambiente e design de embalagens. Durante a abertura, o presidente do Instituto, Francisco de Assis Esmeraldo, afirmou que, fiel ao objetivo da fundação da entidade, em setembro passado, o seminário foi realizado para divulgar as qualidades técnicas e versatilidade do PVC entre todos os segmentos da cadeia produtiva, e também para o consumidor final.

 O coordenador geral do Cetea - Centro de Tecnologia da Embalagem, Luis Madi, anunciou que até meados do próximo ano o centro terá condições de analisar o ciclo de vida dos materiais das embalagens. O método é adotado internacionalmente para medir o impacto ambiental dos materiais e orientar a escolha do melhor tratamento dos resíduos, a partir da visão global de todo o processo, do consumo de insumos durante a produção e o transporte à destinação final das embalagens.

 Suprimento garantido

 As características da resina de PVC e do mercado fornecedor foram analisadas por Alain Jean Maurice Besse, diretor geral da Rionil Compostos Vinílicos, subsidiária brasileira do grupo francês Dorlyl, maior fabricante mundial de compostos de PVC para embalagens alimentares. Entre elas, o fato da resina ter como uma de suas matérias-primas o sal (um recurso ilimitado), manter preços estáveis ao longo dos anos e ter fornecimento garantido em razão da capacidade de produção instalada no Mercosul. Besse também apresentou estudos técnicos comparativos ao falar sobre as propriedades dos materiais das embalagens, necessárias para garantir a integridade dos produtos. Como, por exemplo, a “impermeabilidade ao oxigênio” e a “proteção ao UV” no caso do envazamento de remédios, cosméticos e alimentos. De acordo com estudos da Dorlyl, o desempenho do PVC comum é muito bom e, melhor ainda, o do PVC biorientado, ambos em relação ao desempenho de outros materiais. O executivo falou ainda sobre a relação custo-benefício da utilização do PVC em embalagens: máquinas mais simples e baratas, moldes econômicos, versatilidade no uso, flexibilidade na modelagem, transparência ou opacidade, conforme a necessidade e facilidade de impressão e diversificação de cor.

 Outro aspecto especialmente tratado durante o seminário foi o do impacto ambiental. “O composto de PVC não traz problema ambiental algum desde que bem gerido como resíduo”, explicou Edson Polistchuck, da área de assistência técnica da Solvay do Brasil. Sua palestra analisou os aditivos empregados durante a produção e como do processo resultam compostos estáveis, neutros e inertes, que não se degradam nem liberam poluentes nos lençóis freáticos ou no ar. Ele falou tambem sobre as tecnologias de reciclagem e incineração usadas no tratamento dos resíduos, citando dados técnicos e procedimentos adotados em diversos países. A França, por exemplo, instalou vários incineradores para gerar energia, aproveitando o alto valor calorífico dos compostos de PVC, equivalente ao da madeira.

 Aparências Importam   Com 25 anos de experiência em desenho de embalagens, Lincoln Seragini ilustrou com muitos relatos porque o setor movimenta anualmente cerca de US$ 10 bilhões somente no Brasil e US$ 500 bilhões em todo o mundo. “Inconscientemente o consumidor transfere para a embalagem o conceito do produto”, disse. Ele acredita que, talvez, a maior razão da mudança de embalagem no mundo seja a redução de custos. Mas alertou para outros fatores que devem pesar na decisão das empresas. A conveniência de uso - abrir, fechar, guardar, levar ao forno microondas etc. seria cada vez mais importante para a aprovação dos consumidores. De acordo com o designer, é inclusive por isso que as cervejarias estão gastando fortunas para agregar valor a suas embalagens, adicionando serviços como dispositivos que fabricam espuma ou gelam a cerveja quando a lata é aberta.

 Outro fator que deve ser considerado: a consciência ecológica. “Os valores vão mudar”, garantiu, ao narrar as pesquisas da Coca-Cola para o futuro lançamento de xarope concentrado, em recipientes plásticos de um litro, para adição de água com gás... em casa. O que, sem dúvida, signficaria uma economia ecologicamente correta de matérias-primas, tanto de embalagens quanto de combustível no transporte de milhões e milhões de garrafas de refrigerantes prontos.

 Além disso, na avaliação de Lincoln Seragini, é preciso uma boa dose de ousadia, inovação e criatividade (como no caso da Niasi, elogiada por ele) para otimizar os custos, obrigatoriamente imobilizados no acondicionamento de produtos. É preciso, recomendou, que as empresas tenham uma divisão específica, com poder de decisão e visão geral de todas as funções das embalagens neste novo cenário de globalização e competitividade.

 

 

PVC FAZ GOL NA COPA DA FRANÇA

Não foi por acaso que o consórcio Gouygues, GTM-Entrepose e SGE escolheu a cobertura de lona tensionada de PVC na construção do Stade de France. São 60 mil m² da resina no teto elípitico, cobrindo todo o estádio. Tudo dentro das especificações arquitetônicas de iluminação, resistência e qualidades estéticas do escritório responsável pelo projeto do estádio. A cobertura de PVC também é utlizada na montagem dos boxes das fórmulas 1 e Indy, em feiras, parques e até em aeroportos. No Brasil, uma das fabricantes do produto é a Sansuy, que acompanhou toda a evolução do material: dos modelos infláveis, usados à época da expansão das fronteiras agrícolas brasileiras, na década de 70, aos atuais modelos, cada vez mais procurados por permitir soluções arquitetônicas bonitas e interessantes.

 

 

  CARNEVALLI ESTARÁ PRESENTE À 3ª EDIÇÃO DA LATINOPLAST

Engº  Luiz Antonio D. Simões

“Assim como acontece desde seu lançamento, a Carnevalli estará presente à mais esta edição da Latinoplast, desta vez em Bento Gonçalves.

 Sempre preocupada em estar próxima a seus clientes, a Carnevalli terá seu stande localizado na Rua L x  Rua M, levando um equipamento modelo CHD 50 - 1200S, capacitado à produzir polietileno de alta e baixa densidade. Sua construção compacta e sua versatilidade são fatores determinantes à quem busca produzir por exemplo filmes para fabricação de “rolos picotados”, ou mesmo filmes para fabricação de sacos para acondicionamento de cereais.

 Face à constantes investimentos em seu parque industrial e à constante evolução de seus projetos, o conjunto extrusor CHD-50 1200S como os demais que compõe a linha Carnevalli, estão em constante evolução, proporcionando à seus usuários o incremento da relação custo/benefício. Em fase final de construção o novo centro de manufatura, denominado “G5”, abrigará em seu interior as máquinas de usinagem computadorizadas, e a fabricação das peças será sempre feita sobre pressão e temperatura constantes o ano inteiro.

 Investimentos como este, fazem parte de nossa preocupação, em fabricar no Brasil, um produto que por si só satisfaça às necessidades dos clientes que desejam estar em igualdade. tecnológica no mundo globalizado.”

 

 

 MIOTTO NA LATINOPLAST '98

 “Convidamos V.Sas.a visitar nosso “stand”, localizado à rua F nº 122/123, no qual a Indústria de Máquinas Miotto Ltda., sempre em busca de oferecer as melhores tecnologias, estará expondo uma extrusora de laboratório para filme, granulação e fita, proporcionando ao nosso cliente, qualidade e desenvolvimento para seus produtos com equipamentos de primeira geração.

 Estaremos expondo também, extrusora série EM-diâmetro 60mm, mesa de calibração para perfis, puxador IMB-1 e serra SAM 50.

 Equipamentos Industriais Xaloy Ltda., com acessoria técnica da Miotto vai demonstrar as tradicionais roscas e cilindros bimetálicos e nitretados, monoroscas, dupla roscas e corrotantes para extrusão, injeção, sopro, filme e outros.” (Inds. Maqs. Miotto/Equiptos.Inds. Xaloy Ltda.)

 

 

OS PLÁSTICOS EM PLENA EXPANSÃO

Motivada pela estabilização econômica e melhora do poder aquisitivo do consumidor, a indústra brasileira de plásticos encontra-se em plena expansão. Nesse cenário, a corrida pelo aumento da capacidade produtiva e os investimentos em tecnologia de ponta não bastam. Na mesma proporção em que o setor evolui, novos desafios são impostos, exigindo maior competitividade e integração dos diversos elos da cadeia da Indústria do Plástico: cliente, indústra de transformação, setor de máquinas e fabricantes de resinas.Estas questões foram debatidas e desenvolvidas em workshop realizado pelo Siresp (Sindicato da Indústria de Resinas Sintéticas no Estado de São Paulo).

 
 

PRIMOTÉCNICA PIONEIRA NA RECUPERAÇÃO

A Primotécnica estará expondo no seu estande Rua C, nº 69, na Latinoplast, sua linha de fabricação que são equipamentos para reaproveitamento e reciclagem de materiais plásticos: moinhos, aglutinadores, granuladores, misturadores, mransportes pneumáticos entre outros, com diversas capacidades de produção para atender a necessidade do cliente.

 Este ano estararão apresentando como lançamentos os moinhos de baixa rotação para operarem junto às Injetoras ou Sopradoras, para reaproveitamento imediato das sobras plásticas, evitando o desperdício do produto com manuseios e incidência de pós junto ao granulado e eliminando também a estufagem de materiais com tendências à absorção de umidade. Há uma forte tendência para este nicho de mercado e a Primotécnica com seus trinta anos de existência, segundo sua diretoria, está preparada com equipamentos e tecnologia de primeiro mundo para produzir Moinhos com altíssima qualidade e com preços imbatíveis.

 A Primotécnica coloca toda sua equipe técnica para esclarecimento de dúvidas aos interessados durante e após o evento. Gostariam, portanto, que os visitantes interessados observassem com atenção estes equipamentos que lpodem trazer economia e qualidade para seu produto final.

 
 

MATERIAL ANTICHAMA

O PVC é recomendado internacionalmente para recobrir fios e cabos, fabricação de conduítes, tubos e conexões, janelas, forros e revestimentos para a construção civil. É que seu elevado teor de cloro (57%) contribui com um baixo índice de flamabilidade e para a auto-extinção das chamas formadas no processo de combustão, tornando-o indicado para aplicações que exigem alta resistência ao fogo.

 
 

GARBONI APRESENTA SISTEMA DUPLO DE MOLDAGEM

Pioneira na fabricação de moldes para injeção com câmara quente a Garboni aposta no Stack-Mold e nos setores de alimentos e cosméticos para aumentar em 30% o seu faturamento em 98.

No ano em que completa duas décadas no setor de plásticos, a Garboni, empresa especializada na fabricação de moldes e injeção de tampas para embalagens, apresenta o Stack-Mold, um sistema de injeção revolucionário, fabricado pioneiramente no Brasil.

 “Trata-se de um sistema de moldagem dupla, que permite injetar de forma simultânea, em um único molde, o dobro de peças produzidas em moldes convencionais, garantindo otimização da produção e do espaço físico, redução de custos e rapidez no processo de injeção”, afirma o empresário Giovanni Garboni, fundador e diretor da empresa.

 O Stack-Mold opera através do sistema de câmara quente, introduzido pela Garboni no mercado brasileiro há alguns anos. Sua aplicação está voltada a empresas com grande escala de produção, que tenham necessidade de aliar rapidez e qualidade no processo de fabricação de suas tampas. Desenvolvido com tecnologia própria, inédita no Brasil, o Stack-Mold da Garboni, concorre em igualdade de condições com moldes similares de países tradicionais no segmento, como Canadá, Alemanha, Itália e Suíça, que já produzem este sistema há alguns anos.

 Com faturamento de US$ 21 milhões em 97, a empresa de Petrópolis, que por vários anos atendeu pelo nome de Unimold Rio, aposta no Stack-Mold como um dos instrumentos para aumentar em 30% o seu faturamento para este ano.

Uma história moldada há duas décadas

 Instalada na cidade de Petrópolis, a 70 Km. do Rio de Janeiro, em uma área total de 22 mil m² , com 7 mil m² de área construída, a Garboni é uma empresa que vem se destacando no segmento de moldes e injeção de termoplásticos. Fundada em 1978, a empresa voltou-se, a princípio, apenas para a produção de moldes. Quatro anos mais tarde, atendendo a pedidos de clientes e motivada pelos testes de injeção em seus moldes, iniciou a fabricação de peças técnicas, utilizando 6 injetoras e já atendendo clientes, como General Eletric e Westinghouse. Em meados da década de 80, a Unimold Rio, como era conhecida até então, se destacou pela produção de moldes para pulseiras de relógios.

 Em 1990, contando com 12 injetoras e moldes com sistemas de câmara quente, a empresa investiu na produção de tampas plásticas para embalagens, segmento que impulsionou os negócios da empresa. Atualmente, a Garboni dispõe de 45 injetoras, em grande maioria fabricadas pela Semeraro/Sandretto, e 100 funcionários, capazes de transformar anualmente uma média de 3,6 mil toneladas de plástico em cerca de 1 bilhão de tampas. Com o lançamento do Stack-Mold, a empresa pretende criar condições de atender grandes demandas, nos setores em que atua, como os de alimentos, agroquímicos, lubrificantes e produtos de higiene e limpeza. Além deles, a empresa pretende aumentar, neste ano, sua participação no segmento cosméticos.

 
 

 FORTILIT LANÇA CAIXA D'ÁGUA INÉDITA NO MERCADO BRASILEIRO

A Fortilit Tubos e Conexões, empresa pertencente ao grupo suíço Amanco, está lançando caixas d’água de polietileno de alta densidade no Brasil, num investimento de US$ 10 milhões para a produção de 250 mil caixas d’água por ano.

 Com tecnologia americana e feitas de “Strucutural Foam” - espuma estruturada - levam apenas cinco minutos na produção - com a tampa, inclusive. As caixas são retangulares, cinzas e pesam apenas 20% do peso de uma caixa d’água de fibrocimento. Com design especial para o Brasil, a fabricação começou no final de abril.

 O preço é competitivo e a durabilidade muito maior. A empresa anunciou, no começo de 1997, investimentos de US$ 142 milhões na construção de uma moderna fábrica de tubos e conexões de PVC rígido e poliolefinas na cidade de Sumaré, estado de São Paulo e lançou, recentemente, dois novos tubos de PVC, para redes de água e esgotos,  inéditos no mercado brasileiro: o Corrufort e o Novalock

 Ao longo do ano, a Fortilit comunicou outros investimentos, de US$ 70 milhões, para a construção de duas outras unidades fabris - no Nordeste e no Sul do País, intergralizando 70% do total investido (US$ 212 milhões) em recursos próprios e 30% em recursos externos.

 As novas fábricas irão produzir 70.000 ton/ano assim divididas: Nordeste - 30 mil e Sul- 40 mil. A empresa espera produzir, até 1999, 236 mil toneladas anuais de tubos e conexões no Brasil, somando as produções de todas as suas unidades e também vai expandir atividades para o Mercosul.

 
 

GE PLASTICS SOUTH AMÉRICA É A PRIMEIRA 
FABRICANTE DE PLÁSTICOS NA AMÉRICA DO SUL
A RECEBER A CERTIFICAÇÃO “QS 9000”

Por decisão levada a efeito em 08 de maio, a ABS Quality Evaluations Inc. (USA) outorgou o “QS-9000” à GE Plastics South América S.A., com sede em Campinas, a qual passa a ser a primeira empresa fornecedora de plásticos de engenharia na América do Sul a ser distinguida com aquela certificação.

 Instituído pela Chrysler (Mercedez Benz), Ford e General Motors, o “QS 9000 - Quality System Requirements” é o instrumento pelo qual se atesta a constante preocupação de um fornecedor com o alto padrão de qualidade dos produtos e dos serviços oferecidos àquelas montadoras e demais clientes.

 Somado ao Cerfiticado ISO-9002, do qual já é detentora há 4 anos, a GE Plastics South América S.A. com a presente outorga, será a única empresa latino-americana a ostentar as certificações “ISO 9002 e QS 9000”.

 
 

LUIGI MIOTTO NA LATINOPLAST

A “LGMT”- Luigi Miotto, mais uma vez, se faz presente, prestigiando as feiras do setor plástico com o intuito de poder mostrar aos mercados regionais parte de seus produtos e serviços.

 Apresentarão, portanto, na Latinoplast, sua tradicional linha de construção e recuperação de cilindros e roscas para equipamentos de transformação de plástico e borrachas em geral.

 Segundo informam, dispõe, ainda, de construção da linha completa de acessórios para o conjunto plastificador que se compõe de - anel de bloqueio/encosto, ponteira, porta bico e bico de injeção.

 
 

WUTZL REVELA AO JP SUA ATUAÇÃO NO MERCADO

A Mecânica Wutzl presente no mercado há mais de 27 anos, líder no segmento de máquinas para Hot-Stamping e Tampografia, produz máquinas especiais desde 1971 sendo que apartir de 1978 iniciou a produção de Termoimpressoras. Em 1983 iniciou a produção de equipamentos para Tampografia, possuindo, segundo informa, a mais completa linha nacional.

No período 1971 à 1997 foram produzidas nas unidades de Guarulhos e Arujá cerca de 4.500 equipamentos. Compõem ainda a linha de produtos, máquinas serigráficas, injetoras para termoplásticos, rama aquecida para adaptação em máquina de corte e vinco, cortadeira de fita para hot-stamping, kit-revelação para confecção de clichês de fotopolímero para tampografia, rosqueadeira eletrônica e acessórios para empilhadeiras.

Dotada de máquinas de última geração a Mecânica Wutzl Ltda, presta também serviços de usinagem leve e média, confecciona bloco para molde por encomenda, dispositivos, peças mecânicas sob-encomenda, serviços de caldeiraria e retifica moldes para injeção.

LANÇAMENTO  NA LATINOPLAST/98:MICRO INJETORA

 Micro Injetora Horizontal H25/50 para Termoplásticos. Esta injetora é fruto de intensas pesquisas junto à transformadores e virá a preencher uma lacuna existente no segmento de pequenas injetoras.

 A injetora está equipada com recursos de última geração com as seguintes vantagens:

- Comando CLP de fácil manuseio:

- Controle de Injeção por régua potenciométrica;

- Ausência de colunas;

- Know-How 100% Nacional;

- Ótimo Custo Benefício;

- Melhor Produtividade;

- Simples Manutenção.

 Possui força de fechamento de 25 toneladas e permite injeção de peças até 49 cm³ (aproximadamente 50 gramas) proporcionando grande economia de energia, baixos tempos de preparação devido a ausência de colunas e ao comando CLP.

 
 
 

OS INGRESSOS DA K’98 JÁ ESTÃO DISPONÍVEIS NO BRASIL

Novidade da K’98 Düsseldorf: Registro dos visitantes por cartão magnético. Possibilidade de ganhar viagens aéreas para todos os cinco continentes

Para facilitar o contato mais objetivo entre os expositores e visitantes da K’98 Düsseldorf - 14ª Feira Internancional de Plástico e Borracha - a feira introduz o registro dos visitantes por cartão magnético.

 Pela primeira vez é dada aos visitantes da K’98 a possibilidade de registrarem-se ou antes do evento ou diretamente no terreno da feira. Eles  receberão um “cartão de visita eletrônico”, um cartão magnético com seus dados pessoais, assim como uma placa com o nome. Com isso o expositor pode, através de um aparelho leitor, armazenar o nome e endereço do cliente em potencial na hora da visita ao seu estande e acrescentar informações adicionais para a reedição da feira em seu próprio banco de dados. Isso lhe possibilita, após a K’ 98, recorrer a endereços detalhados de clientes em seu banco de dados para enviar informações e ofertas.

 Essa forma de registro dos visitantes é novidade para as feiras alemãs de modo geral. Um motivo entre outros é o grande fluxo de visitantes em uma feira grande como a K, onde nas primeiras duas horas de funcionamento de um dia passam pela entrada até 30.000 visitantes. Para evitar longas esperas,  os visitantes estão convidados a utilizar a possibilidade do registro antecipado.

 Para todos os visitantes da K’98 que não são da Alemanha, o formulário de registro, juntamente com a entrada para a feira, já estão disponíveis junto ao Representante da Messe Düsseldorf. O endereço do Representante no Brasil é:

MDK - Feiras Internacionais S/C Ltda.

Rua Barão do Triunfo, 238 - cj.14

04602-000   São Paulo - SP

Tel: (011) 535-3484

Fax: (011) 530-6041

E-mail:mdk@sti.com.br

 Todos os visitantes da K’98, que se registrarem com antecedência, tomarão parte de um sorteio, se ao deixar a feira devolverem seu cartão magnético. Podem ser ganhas viagens aéreas para 2 pessoas a destinos dos sonhos em todos os cinco continentes. 5 pernoites em hotéis de primeira classe fazem parte do prêmio.